Arquivo do mês: outubro 2011

De janelas e caminhos

Ah, as almas que se trombam, céleres, e que se ligam, vermelhas, castas, sempiternas. Qual canto que se cala, que se engata, e brota firme, lento, no martírio do arrebol? De repente, alçar é se saber crepúsculo, gozar esse segundo-antes, … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | Marcado com , , | Deixe um comentário